sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O QUE O KOMBATO ENSINA.

Muita gente pensaria logo que Kombato é apenas auto-defesa, segurança... porém isso é o que é visível aos olhos nus. Mas existem muitas coisas além do visível, e do óbvio, que vão aderindo aos seus hábitos,  a sua forma de ser, fazendo o Kombatente evoluir como ser humano.

Em muitos casos, conseguimos resumir isso através do “Lema do Kombato”: Amizade, disciplina, Perseverança, Conhecimento e Cidadania. E se eleva um pouco mais com o “Lema do mentor”, quando chegar a hora certa.

Em pouco tempo, seja um adulto ou uma criança, com o aprendizado de Kombato, você se tornará uma pessoa melhor.

Amizade
Amizade é o primeiro item do lema do Kombato. Mas significa muito mais que apenas saber apertar as mãos dos colegas, e sair para comerem juntos uma pizza; é também saber dar apoio em momentos difíceis. Significa desenvolver, de uma forma civil, o “espírito de corpo” comum as forças militares. Respeito pelo próximo, educação, comunicação, saber trabalhar em equipe, entender as diferenças e necessidades de cada um da equipe.

Disciplina
Nenhuma atividade física ou mental evolui sem disciplina, sem foco. Nem terminar de ler um livro, nem estudar, nem desenvolver seu preparo físico, nenhuma evolução é possível sem esta qualidade. No Kombato, ao contrário de muitas artes marciais que possuem competições, as quais se compete contra um adversário, somos incentivados a competir contra nós mesmos. É uma forma de motivação forte, e imparável. Entenda que se sua meta for muito mais alta que você, você pode se desmotivar ao não conseguir alcançá-la. Se for muito baixa, você não evoluirá. Mas se a meta é se aperfeiçoar, você sempre estará motivado, e o céu é o limite!

Perseverança
Persistência, Resiliência. A perseverança é o combustível que permite que você continue a guerrear, a lutar, a seguir em frente; é o combustível que permite o seu aperfeiçoamento constante; é o “moto perpétuo” da motivação. Desenvolvendo esta perseverança, o kombatente se torna tolerante à pressão dos acontecimentos ao seu redor; e isso pode ser aplicado desde problemas pessoais e até mesmo em uma prova de vestibular ou concurso público, passando obviamente por situações de risco de devem ser avaliadas sob tensão.

Conhecimento
O verdadeiro kombatente nunca deixa de estudar, aprender, ler. O conhecimento é o que permite que o Kombato continue evoluindo. Não apenas em técnicas, mas em todos os aspectos. O conhecimento é importante para que façamos decisões bem feitas no nosso dia a dia, de forma consciente e racional. Valorizamos igualmente o auto conhecimento. Nada é mais difícil do que saber quem você é. Os combates, os exercícios nos ensinam a nos conhecer melhor - saber que limitações temos hoje, para que possamos vencê-las no futuro.

Cidadania
O Kombato, diferente de diversas artes marciais, não pressiona o seu aluno a seguir nenhum tipo de filosofia religiosa. Respeitamos as religiões, no entanto nossa opinião é que religião (incluindo a opção de seguir ou não uma religião), é uma opção pessoal, como a própria escolha das roupas que veste. O Kombato não interfere nesse aspecto, e proíbe todo e qualquer tipo de preconceito, de ordem de gênero, cor de pele, opção sexual, religião, etc. Ao mesmo tempo, o Kombato quer que os alunos se tornem bons cidadãos, para que possam contribuir efetivamente para uma sociedade melhor. É comum, apesar de não ser obrigatório, que Kombatentes façam trabalho social, ou façam doações.

Exemplo Pessoal
Quando se é monitor, instrutor, ou professor, em suma, um mentor de turma, se começa a desenvolver a liderança. E a verdadeira liderança só é alcançada através do exemplo pessoal. Ensinar através do exemplo não é apenas a melhor forma, mas a única forma de ensinar todos os itens anteriores.

Responsabilidade
O exemplo pessoal que permite que exista a liderança é alimentado pela responsabilidade que o mentor tem sobre seus alunos. A mesma responsabilidade que os pais tem sobre seus filhos. Se você tiver responsabilidade, saberá o quanto o exemplo é precioso para o aprendizado da forma correta de como agir. Esta mesma responsabilidade, quando levada para o lado da segurança, é que faz com que o Kombatente deixe de pensar apenas na sua defesa, mas sim passe a pensar na defesa de sua família e entes queridos, e se eleve até se preocupar com a defesa da sua pátria e da sociedade em si.

Este pequeno texto é fruto da observação sobre o quanto o Kombato mudou meus alunos; eu vi os primeiros passos deles ao entrar no treinamento; e vi onde cada um chegou, e já vislumbro onde cada um chegará. Todos evoluíram, foram para a frente, caminhando em direção a um futuro melhor, aprendendo nossa doutrina, que está acima resumida, se tornando seres humanos melhores.

Obrigado pela atenção!

Mestre Paulo Albuquerque