sexta-feira, 20 de abril de 2012

AULA 45: DEFESA CONTRA ABRAÇO DE URSO COM FACA

NOVO VIDEO: apenas 45 segundos

ISSO É MUITO TRISTE, MAS É A MAIS PURA REALIDADE

Do nosso pais. Cada vez mais é necessário que todos se defendam por si mesmos. Nem a polícia consegue trabalhar mais. E detalhe: o governo ainda criou o desarmamento para piorar tudo. Agora praticamente só os bandidos tem acesso as armas. Além é claro dos indultos, que soltam os bandidos, e eles não voltam!!!


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Nova Sessão: Instantâneo

Nesta primeira foto, feita pelo Monitor Paulo Marcondes no Walmart de Campinas, temos uma cena comum, e infelizmente com um imenso furo na segurança.

Vejam por si mesmos, e comentem!


Aula 44 de Kombato: Defesa contra estupro




Se defender contra estupro, é claro, é muito mais que apenas as técnicas. É preciso compreender a filosofia de defesa envolvida. Sugestão: Aprenda Kombato!

Pode o melhor lutador do mundo ser leigo em defesa pessoal?

Clique AQUI para participar do debate!

A opinião do Kombato é clara. São duas coisas absolutamente distintas.

Pode postar sua opinião na revista on-line livremente!

FOTOS DO ÚLTIMO EXAME EM BAURU



Parabéns ao Professor Douglas Pastre pela formação dos monitores Wandrey e Alexandre Belafronte pelo trabalho, e a estes pelo início do trabalho bem feito. Profile do Professor Douglas : http://www.facebook.com/profile.php?id=675419624

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Garoto de 13 anos herói!

Com a atitude que espero para os Kombatentes, o garoto furou a "inércia" do grupo, e salvou a vida de todos com sua atitude de herói. Estes são nossos verdadeiros heróis!

Eatrando na briga

A sigla PALCO do Kombato, contém a sigla "c" e o IVAN a sigla "N". Quem faz Kombato sabe o que significa.

Ai está um video comprovando:


SOCO EM MULHER

Infelizmente, por um video, é impossível saber a motivação. Mas dá para ver o efeito. Uma mulher ficar brigando contra um homem nunca é uma boa idéia, se ela pode evitar ou fugir. Veja o que acontece.


quarta-feira, 28 de março de 2012

SEMINÁRIO ESTE FIM DE SEMANA EM BH


Quem quiser aproveitar a minha estadia para fazer aulas particulares de Kombato ou Kali, entre em contato comigo pelo email: mestre.kombato@gmail.com

Aula 42 de Kombato

Chave de dedos pelas costas. Esta técnica tem uma história curiosa - pergunte na aula!

A segurança da Rio+20: o inimigo agora é outro

A segurança da Rio+20: o inimigo agora é outro 

Texto de Luís Bulcão, do Rio de Janeiro 

(Link original: VEJA

Plano do Ministério da Defesa reforça segurança da internet, aeroportos, reservatórios de água e hotéis. Ameaça, 20 anos depois da ECO-92, passou a ser o terrorismo, não mais o tráfico de drogas nas favelas 


Cenário frequente de operações policiais, com ocupação de favelas e tropas ostentando fuzis, o Rio de Janeiro se prepara para receber, em junho, um aparato de segurança pouco usual – pelo menos por enquanto. No primeiro de uma série de eventos internacionais programados para a cidade até 2012, a Rio+20 vai inaugurar no país um modelo de policiamento inédito por aqui. Se há 20 anos, na ECO-92, a preocupação era a de proteger os líderes mundiais da ameaça armada das favelas, controladas por traficantes, na conferência de agora o inimigo a ser evitado vem de fora, na forma de investidas terroristas e ataques virtuais – um perigo real, numa era em que as comunicações dependem da internet e de redes remotas. Em vez dos veículos blindados e dos militares em trajes camuflados, as ‘estrelas’ do plano concebido pelo Ministério da Defesa, que prevê “alerta máximo” durante o evento, são as equipes que vão vigiar aeroportos e pontos de abastecimento d’água, mergulhadores, atiradores de elite e baterias antiaéreas do Exército. 

A segurança da Rio+20 vai mobilizar 12.800 homens e mulheres das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), além de milhares agentes das polícias federal e militar. Uma operação "muito sensível e de alto risco", na opinião do general de Exército Adriano Pereira Junior, comandante militar do Leste. Encarregado de coordenar as 49 entidades, entre polícias, agências de inteligência e órgãos públicos envolvidos na segurança da conferência, o general do CML garante que o Brasil está preparado para responder a qualquer ameaça, inclusive ataques químicos, nucleares e biológicos. 


"Embora não tenhamos tradição nesse tipo de operação (de contraterrorismo), o treinamento é igual ao de qualquer outro exército de bom nível do mundo. As nossas forças especiais são consideradas de nível A, muito bem preparadas", afirma o general. A estimativa de gastos com a operação é de 122,3 milhões de reais. Para o general Adriano, esse é o início de um ciclo de ações que vai se estender para outros grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. 

Para as ações de contraterrorismo, 300 militares dos destacamentos antiterror do Exército e da Marinha estarão empregados. Eles vão trabalhar em caso de atentado ou sequestro. A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) está encarregada de definir os pontos e momentos de maior grau de risco. Alguns pontos, no entanto, já estão no roteiro desse grupo. Entre eles, obviamente, aeroportos e os hotéis que vão receber os chefes de estado. Nesses locais, haverá varreduras periódicas. 

A operação também prevê o uso de mergulhadores da Marinha para inspecionar até mesmo os cascos dos navios ancorados na orla. "Temos equipamentos modernos para detectar materiais eletrônicos que possam ser nocivos. Em cada ponto faremos uma varredura para identificar qualquer tipo de ameaça, seja química, biológica ou nuclear", afirma. 

Além dos especialistas militares, o Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD) e o Centro Estadual para o Gerenciamento de situação de Emergências Nucleares, que é responsável pelos planos de acidentes nucleares das Usinas de Angra, estarão em coordenação com as órgãos de segurança. De acordo com o Ministério da Defesa, serão instaladas estações para descontaminação em caso de ataque químico ou radioativo. "Estamos preparados tanto para fazer a varredura como para reagir se houver algum atentado. É claro que esperamos que nada disso aconteça e vamos trabalhar para isso", afirma o general.



durante o evento, são as equipes que vão vigiar aeroportos e pontos de abastecimento d’água, mergulhadores, atiradores de elite e baterias antiaéreas do Exército.

A segurança da Rio+20 vai mobilizar 12.800 homens e mulheres das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), além de milhares agentes das polícias federal e militar. Uma operação "muito sensível e de alto risco", na opinião do general de Exército Adriano Pereira Junior, comandante militar do Leste. Encarregado de coordenar as 49 entidades, entre polícias, agências de inteligência e órgãos públicos envolvidos na segurança da conferência, o general do CML garante que o Brasil está preparado para responder a qualquer ameaça, inclusive ataques químicos, nucleares e biológicos.


"Embora não tenhamos tradição nesse tipo de operação (de contraterrorismo), o treinamento é igual ao de qualquer outro exército de bom nível do mundo. As nossas forças especiais são consideradas de nível A, muito bem preparadas", afirma o general. A estimativa de gastos com a operação é de 122,3 milhões de reais. Para o general Adriano, esse é o início de um ciclo de ações que vai se estender para outros grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.


Para as ações de contraterrorismo, 300 militares dos destacamentos antiterror do Exército e da Marinha estarão empregados. Eles vão trabalhar em caso de atentado ou sequestro. A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) está encarregada de definir os pontos e momentos de maior grau de risco. Alguns pontos, no entanto, já estão no roteiro desse grupo. Entre eles, obviamente, aeroportos e os hotéis que vão receber os chefes de estado. Nesses locais, haverá varreduras periódicas.


A operação também prevê o uso de mergulhadores da Marinha para inspecionar até mesmo os cascos dos navios ancorados na orla. "Temos equipamentos modernos para detectar materiais eletrônicos que possam ser nocivos. Em cada ponto faremos uma varredura para identificar qualquer tipo de ameaça, seja química, biológica ou nuclear", afirma.


Além dos especialistas militares, o Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD) e o Centro Estadual para o Gerenciamento de situação de Emergências Nucleares, que é responsável pelos planos de acidentes nucleares das Usinas de Angra, estarão em coordenação com as órgãos de segurança. De acordo com o Ministério da Defesa, serão instaladas estações para descontaminação em caso de ataque químico ou radioativo. "Estamos preparados tanto para fazer a varredura como para reagir se houver algum atentado. É claro que esperamos que nada disso aconteça e vamos trabalhar para isso", afirma o general.
Divulgação







O terminal 1 do Aeroporto Internacional do Rio Galeão - Antonio Carlos Jobim: exemplo de ineficiência

Ciberterrorismo – Outra novidade no planejamento de segurança é o combate à intervenção de hackers nos sistemas da Rio+20, pois grande parte dos documentos da conferência vai ser produzido e distribuído em meios eletrônicos. Segundo o vice-almirante Ney Zanella responsável pelo planejamento da operação, a segurança das conexões durante a conferência é fundamental até mesmo para que os deslocamentos de autoridades pela cidade não fiquem vulneráveis "Quando se trabalha com tecnologia da informação, estamos sujeitos à guerra cibernética. Uma vez que alguém consiga entrar nos sistemas, temos que neutralizar a ação. Todos os nossos centros de controle estarão em conexão para o controle da mobilidade durante a conferência, tanto para os deslocamentos por terra quanto o espaço aéreo. Esses centros não podem colapsar", afirma. 

Mesmo com toda a mobilização, Zanella explica que o plano de defesa foi concebido para influenciar o mínimo possível na rotina da população. Ao contrário do que ocorreu na Rio 92, não haverá a interdição permanente de vias principais e não haverá ocupação das ruas e favelas por parte do Exército.  


Ainda assim, o general Adriano admite o emprego de tropas e tanques em pontos específicos se os órgãos de inteligência identificarem maior grau de risco: "Se o grau de risco e ameaça indicarem a presença de um blindado, vamos empregar. Mas isso não vai ser em toda a cidade", comparou o general. De acordo com ele, as operações serão semelhantes às realizadas durante a visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em 2011, quando tanques foram posicionados no entorno do Theatro Municipal enquanto o presidente discursava.

Espaço aéreo – Para escapar do trânsito do Rio de Janeiro, os chefes de estado terão a opção de se locomover pelo ar. No Riocentro, onde a cúpula será realizada, serão instalados três helipontos. Dezesseis helicópteros serão utilizados para o transporte e segurança de autoridades. A FAB vai ficar encarregada de inspecionar as aeronaves antes de cada voo e também vai monitorar o espaço aéreo. Além disso, caças estarão de prontidão na Base Aérea de Santa Cruz e aeronaves estarão vigiando constantemente o céu do Rio.  



Ao contrário do procedimento realizado durante a ECO-92, o espaço aéreo da cidade não será fechado. No entanto, haverá maior controle das rotas comerciais e particulares. "Nenhuma aeronave vai voar sem passar por inspeção. Os executivos que têm que fazer seus voos de helicóptero poderão voar. No entanto, a atenção vai estar constante para que nenhuma aeronave desvie do plano de voo autorizado", explica Zanella.


Segundo o general Adriano, não há exigências especiais de chefes de estado para a segurança oferecida pelo Brasil. Ele explica que o procedimento segue protocolos internacionais. Os chefes de estado trazem seus seguranças pessoais, que ficam no entorno imediato à autoridade. As demais medidas para a defesa cabem ao país sede. "Os seguranças que acompanham as delegações nos questionam sobre alguns aspectos para saber se nós estamos considerando algumas ameaças que eles tenham levantado. Não há exigências. Temos nos dado muito bem nessa troca de informações", afirma.


FACA EXCELENTE!

Aposentado bom de mira reage a assalto e mata ladrão


Durante uma tentativa de assalto a um médico no Rio Grande do Norte, idoso e aposentado de 75 anos a situação terminou bem para o bandido (caçador), o dia acabou sendo da caça (aposentado), o senhor Onofre Lopes Júnior sofreu uma tentativa de assalto de Julianderson Marcelo da Silva Pereira de 30 anos, o aposentado ficou sob a mira da arma do assaltante, obrigando-o a descer do carro. O idoso fez o que o bandido pediu, entregou seu veículo, um Ford Fusion e afastou-se, mas enquanto o bandido manobrava o carro para fugir, soltou sua arma, um revolver 38 no bando do passageiro, o idoso então sacou uma pistola mandando dois tiros no bandido, um na nuca e no braço, mesmo baleado o assaltante tentou fugir correndo, mas levou mais seis tiros e morrendo logo em seguida. O médico foi convocado à 5ª DP para dar explicações sobre o caso.

Direto do http://blogdorubinho.com.br

COMENTÁRIO: É claro que a Kombato não advoga a reação a assaltos. Mas nós vibramos quando o bem vence o mal seja de que forma for!!

Atentado é flagrado por câmeras de TV em João Pessoa

Link original: Leia AQUI

A tentativa de assassinato de um encanador de 21 anos foi flagrada pelas câmeras de uma emissora de televisão na madrugada do dia 18, na porta de um bar na periferia de João Pessoa, na Paraíba. A vítima levou seis tiros, mas foi socorrida e está fora de perigo. A imagem do crime foi compartilhada por usuários de várias redes sociais na internet.


Depois de levar quatro tiros dentro do estabelecimento, Rodrigo Ferreira da Silva estava deitado na calçada, esperando socorro, quando a equipe da TV Correio chegou. Enquanto o cinegrafista gravava a cena, um homem (que ainda não foi identificado) se aproximou e disparou mais duas vezes contra Silva. A vítima foi levada para o Hospital de Trauma. Em entrevista à rede de televisão, o encanador disse que foi atacado por seis homens. “Um deles bateu na minha cabeça com um capacete. Outro me segurou e outro atirou quatro vezes”, contou o encanador. “Consegui correr e pulei um muro. Pensei que eles tinham ido embora e voltei ao bar para pedir socorro. O que atirou ainda voltou, mas o revólver estava sem bala. Ele foi buscar bala, voltou e atirou na minha cabeça”. A vítima disse que não existia motivo para o atentado. “Ele não tinha motivos para atirar em mim. Eu me envolvi em uma confusão com um amigo dele em uma festa. Mas já faz muito tempo”. A chefe de produção da TV Correio, Kátia Dumont, disse o crime foi um dos casos mais inusitados que a equipe de reportagem da emissora já flagrou. Segundo ela, o cinegrafista chegou tremendo à emissora. “Ele não sabe avaliar se teria ficado no local do crime se soubesse que o criminoso voltaria para dar mais tiros”. COMENTÁRIO DO KOMBATO: É claro que era algo inesperado para quem estava já baleado. Mas existem duas coisas a pensar: 1. O bandido volta para acabar o seu serviço. Isso costuma acontecer, mas raramente, claro na frente da televisão. Se ele tivesse condições (não dá para saber), ele poderia ter entrado em outro veículo se houvesse para fugir. 2. Mesmo baleado se pode lutar pela vida. No DECAF 2 existe EXATAMENTE este cenário dentro das técnicas de execução.